Dobet logo light
  • June 25, 2024
  • Last Update June 25, 2024 12:33 pm
  • São Paulo
Perfil da Equipe: Austrália Começa como Favorita no Papel

Perfil da Equipe: Austrália Começa como Favorita no Papel

BELEM (Brasil) – Como orgulhosas detentoras da 3ª posição no Ranking Mundial de Basquete Feminino da FIBA, apresentado pela Nike, a Austrália viajará para o Brasil como a favorita incontestável para garantir uma das 3 vagas para os Jogos Olímpicos.

As Opals vêm de dois terceiros lugares consecutivos na Copa Asiática Feminina de Basquete da FIBA em 2023 e na Copa do Mundo Feminina de Basquete da FIBA em 2022 em casa. Agora, elas desejam chegar aos Jogos Olímpicos pela 10ª vez. Apenas os EUA fizeram melhor até agora, com 11 aparições, e 2024 será a 12ª delas Classificação Mundial de Basquete Feminino da FIBA.

O Elenco

Um grupo de 20 mulheres foi anunciado pela Basquete Austrália no meio de dezembro e, no início desta semana, as Opals divulgaram seu elenco definitivo de 12 jogadoras.

A lendária jogadora Lauren Jackson está prestes a fazer sua quinta participação olímpica notável, caso as Opals se classifiquem, e ela assegura um lugar para o evento significativo deste ano. Sua última participação foi há mais de uma década, em Londres 2012. A treinadora principal Sandy Brondello conta com uma formação formidável, com oito membros que retornam do time que conquistou o bronze em Sydney na Copa do Mundo Feminina de Basquete da FIBA em 2022.

Jogadoras como Tess Madgen, Cayla George, Marianna Tolo, Lauren Jackson, Ezi Magbegor, Bec Allen, Sara Blicavs e Sami Whitcomb estão todas preparadas para replicar o sucesso de 18 meses atrás no palco global. A olímpica de Tóquio Alanna Smith e Jade Melbourne se juntam novamente à equipe, enquanto o talento emergente Isobel Borlase e a armadora Steph Reid estão prontas para estrear no torneio no nível sênior Classificação Mundial de Basquete Feminino da FIBA.

A Pergunta

Será que elas podem ir até o fim?

A Austrália chegou às semifinais de seus dois eventos mais recentes, perdendo para a China em ambas as ocasiões. E embora estejam felizes por não enfrentá-las novamente, agora terão que lidar com uma equipe da casa que venceu torneios consecutivos (Brasil), outro adversário do Top 10 (Sérvia) e um perigoso time alemão. Elas são as grandes favoritas para carimbar o passaporte para a França, mas não será fácil Classificação Mundial de Basquete Feminino da FIBA.

A Esperança

Experiência e versatilidade são as marcas registradas da equipe, e o retorno de Cayla George (8,6 pontos e 5,6 rebotes na Copa do Mundo Feminina de Basquete de 2022) é exatamente o que o médico receitou. George ficou de fora da Copa Asiática Feminina de 2023 Classificação Mundial de Basquete Feminino da FIBA.

As adições da armadora Jade Melbourne, de 21 anos (12,6 pontos, 5,0 rebotes e 3,4 assistências na Copa do Mundo Feminina Sub-19 da FIBA em 2021), e de Isobel Borlase, de 19 anos (14,9 pontos, 5,9 rebotes e 4,0 assistências na Copa do Mundo Feminina Sub-19 da FIBA em 2023), representam tanto um impulso a curto prazo quanto uma visão da próxima geração do basquete australiano.

O Medo

A Austrália derrotou o Brasil (65-52) nas Eliminatórias da Copa do Mundo Feminina da FIBA de 2022 em Belgrado e quase surpreendeu a equipe da casa, a Sérvia, antes de um incrível retorno no último quarto liderado pela impressionante atuação de Yvonne Anderson, com 30 pontos (78-71). A Sérvia pode repetir esse feito daqui a algumas semanas em Belém?

Vamos imaginar, por um momento, que o Brasil vença a Austrália no primeiro jogo Classificação Mundial de Basquete Feminino da FIBA, aproveitando a euforia da torcida local. Agora, e se a Alemanha superar a Sérvia? Nesse cenário, a partida do último dia entre Sérvia e Austrália pode se tornar crucial.

Apesar de ser uma das equipes mais eficientes do mundo, as Opals terão que cuidar de seus problemas de falta e manter um alto nível de arremesso externo.

Related Articles